Follow by Email

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Sobre diagnósticos

Duas semanas deles doentinhos. Lucas com conjuntivite, ouvido cheio de secreção, dias e dias de antibiótico. Ainda no processo dele sarar, Clara com febrinha. A mãe enlouquece. Comecei com uma dor de cabeça e, no ápice da preocupação, arranjei um torcicolo.
Ela, já melhor, graças a Deus, me pergunta:
- É aqui o seu machucado? - apontando o "Salompas" que eu colei no desespero.
- É.
- Tá sangrando?
- Não, não é de sangrar, boneca. É lá dentro.
- Humm... Sabe, mamãe, acho que o que você tem é coração partido. Por isso que dói lá dentro.
Pra quem diz vez em quando que vai ser médica, o diagnóstico da Clarinha foi certeiro...

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Em série

Conjuntivite. A Clara, o Lucas, eu. Atestado. Ficar em casa. Explicar pro empregador, doença infecto contagiosa. Nem preciso ficar em casa, tô bem. Pode passar pra Deus e o mundo, ok. Vou ficar em casa.

Arruma armários. Cuida das crianças. Leva na escola, busca na escola, dá de mamar. Como é bom ficar em casa.

Birras. Brigas. Contornos. Ballet. Ensaio. Por na cama, por no berço, antes vamos tomar banho. Como é trabalhoso, não trabalhar, mas que trabalho bom.

Sarando, já. Amanhã volto a trabalhar.

- Ah, mamãe. Mas eu não quero que você trabalhe!...

A mamãe quer trabalhar e quer ficar com vocês, Claraboia. A mamãe quer tudo. A mamãe quer ser profissional, mas acima de tudo quer ser a mamãe de vocês. Quer fazer coisas de mamãe, também.

E daí, eu que no começo da semana estava meio preocupada com o que esses quatro dias teriam de impacto na minha vida como profissional, percebi o impacto que esses rápidos quatro dias tiveram na minha vida de mãe.

De ficar e cuidar. E abraçar e beijar. E encher de carinhos. E estar presente.

Como é bom ser mãe de vocês!...



sexta-feira, 6 de novembro de 2015

O que realmente vale a pena

Na correria do aniversário, no meio dos faz isso e aquilo, dobra e desdobra, fomos tomar banho. Tomar banho, pra você colocar a roupa de princesa - logo todo mundo vai chegar!...

- Você está feliz, filha?

Ela agarrou forte a minha perna, deu um desses sorrisos que a gente enxerga até quando a pessoa está de costas.

- Estou! Obrigada, mamãe! Pelo meu aniversário...

Eu agradeci a ela, é ela que motiva tudo isso.

E pensei... Não tem correria, desdobramento, planejamento que este obrigada não pague.

Renovou minhas energias para começar o aniversário do Lucão. =)